quinta-feira, 29 de maio de 2014

Sobre X-Men: A Franquia Daqui pra Frente... E se...?

Obs.: O texto abaixo contém spoilers dos filmes da franquia, inclusive o último.

Caso você se pergunte, sim, fui eu quem fiz essa imagem.


X-Men: Dias de um Futuro Esquecido (leia aqui a análise do filme) abriu uma um leque enorme de possibilidades para a franquia dos X-Men. A intenção do filme seria reiniciar o universo dos mutantes, sem necessariamente fazer um reboot, e consertar a falta de planejamento da franquia pela Fox. Ao que parece, a Fox quis fazer isso, mas ainda não deu conta de planejar seu Universo. 
Com um novo público, acostumado à franquia dos Vingadores, eles terão que se adaptar para agradar tanto ao pessoal que curte o trabalho feito pelo diretor Bryan Singer, quanto o pessoal que gosta da linha adotada pela Marvel Studios.
Particularmente penso que não deveriam ter feito X-Men: Primeira Classe. Eu não morro de amores pelo filme como muitos fãs, mas gosto dele. A questão é que a maioria dos problemas de cronologia da franquia de estabeleceu com o Primeira Classe – mesmo se considerarmos o péssimo “X-Men Origins: Wolverine”.


O que eu teria feito após X-Men 3?

Traria Singer de volta e teria usado a ideia de Dias de Um Futuro Esquecido ou de outros arcos para mudarem os eventos.
Na verdade cheguei a criar um mini plot, chamado “X-Men Reborn”, onde mostrava-se um futuro devastado onde Cable precisava voltar no tempo, destruir a Ilha de Genosha onde Bolivar Trask estaria fabricando seus Sentinelas e impedir que Jean Grey morresse, já que ela com o poder da Fênix, era a única capaz de – junto com os X-Men – impedir que o projeto fosse adiante. Repensando minha ideia, seria um filme tão confuso quanto o de X-Men 3, pois mais uma vez teria que tratar da Fênix + outro problema mutante. Mas na minha cabeça estava legal na época e terminava num clímax de tirar o fôlego dos X-Men, a trupe de Magneto e a Fênix, todos contra o exercito de Sentinelas em Genosha.
Mas como não foi isso que aconteceu, podemos sonhar com as próximas continuações, certo?

Essa também. E sim, esse é o Gerard Butler de Cable.

O que fazer após Dias de um Futuro Esquecido?
Quem acompanha o blog e os meus últimos textos, sabe que eu amo o universo que Bryan Singer concebeu para a versão cinematográfica dos X-Men, portanto, eu apoio a manutenção dessa mesma linha a ser seguida.
Os filmes dos X-Men nunca foram fieis às HQ’s, mas sempre fizeram ótimas referências. 
X-Men 2 foi muito obviamente inspirado em “Arma X”, “Deus Ama, O Homem Mata” e o início da Saga da Fênix. “X-Men: O Confronto Final”, baseia-se também vagamente na Saga da Fênix Negra e em “Gifted” de Joss Whedon e John Cassaday. O filme mais recente, “Dias de um Futuro Esquecido”, utiliza a premissa da HQ de mesmo nome de 1981 dos Fabulosos X-Men, de Chris Claremont e John Byrne, além de fazer uma referência ao arco “O Povo do Amanhã” no clímax.
Sendo assim, seria muito interessante que conseguissem, assim como foi o bem sucedido X-Men 2, casar o universo do cinema com inspirações nos quadrinhos. Já está confirmado para Maio de 2016 a estreia de X-Men: Apocalipse e também foi confirmado um terceiro filme solo do Wolverine. Há muita especulação sobre os próximos filmes, mas os produtores parecem ainda não saber o que fazer exatamente.

Pensando nisso, o que custa sonhar um pouquinho e imaginar um pouco como seria o futuro da franquia? Para criar a sequencia abaixo, pensei num ambicioso, arriscado e caríssimo planejamento, mais ou menos parecido com o da Marvel de lançar dois filmes por ano. Mas obviamente, os X-Men já estão desgastados com seus elencos que estão envelhecendo. Portanto, pensei numa série para finalizar os X-Men como os conhecemos e reiniciar em 2019, a franquia com um reboot genuíno. Enquanto isso, os próximos filmes seguiriam duas linhas temporais (passado e futuro) que se encontrariam no final da série, seguindo de certa forma a teoria apresentada por Hank McCoy em DOFP de que o tempo não é tão alterável assim - e claro, as sinopses apresentadas assim parecem talvez forçadas demais para o cinema, mas isso são ideias iniciais que precisariam ser detalhadas e enxugadas, caso fossem realizadas. 
Baseando em alguns dos mais importantes arcos das HQ’s E no universo cinematográfico estabelecido, segue a lista de como seria uma franquia interessante (acompanhando os anos de lançamento dos sonhos rs):


Esse não fui eu, mas achei genial e estou trabalhando em algo parecido.

The Wolverine: Wedding Day (2015/2016)
Baseado vagamente nas HQ’s  conhecidas como “Ter ou não ter” de Uncanny X-Men 172 e 173, o próximo filme solo do Wolverine seria uma espécie de continuação alternativa para “Wolverine Imortal” que foi claramente eliminado da cronologia da nova realidade criada por “Dias de Um Futuro Esquecido”. 
A cena de abertura seria uma releitura do clímax de X-Men 2, quando Jean aparentemente morre para salvar os X-Men. Num salto de 2 anos mais ou menos, vemos Wolverine no Japão, pra onde fugiu após a morte da amada, mas agora prestes a casar com Mariko Yashida. Haveria o arco com o Samurai de Prata, mas sem precisarmos repisar o que rola em “Wolverine Imortal” e ainda assim fazendo entender que algumas coisas não mudaram com DOFP. A linha básica do conflito das HQ’s seria mantida, trazendo inclusive para o Japão os convidados de Wolverine para o casamento, que nas HQ’s são Tempestade, Noturno, Colossus e Kitty, que trazem consigo uma Vampira recém-aceita nos X-Men. 
A importância da Vampira nessa trama é enorme, sendo ela a salvar o dia no final das contas. Talvez esse fosse o filme de criar uma oportunidade para que ela cresça na série cinematográfica e adquira seus poderes de super força e voo. Não poderia ser com a Miss Marvel, pois esta pertence por direito à Marvel Studios, mas poderíamos ter um arco onde a Vampira se destacasse. Uma aparição da Kelly Hu como Lady Deathstrike seria interessantíssima... Assim como poderia também haver uma inclusão rápida da Fan Bingbing como Blink (já que os boatos dizem que a atriz assinou contrato para 4 filmes).
A cena pós-créditos do filme seria parecida com a cena em que Jean reaparece para Scott em X-Men 3, dando a entender que em breve poderíamos ver novamente a Fênix botando pra quebrar.
O foco estaria obviamente no Wolverine e como ele se relaciona com a equipe, mas o destaque secundário seria da transformação da Vampira de uma menina inexperiente para uma X-Men de personalidade forte e história marcante.

esse não fui eu rs

X-Men Apocalipse (2016)
Já confirmado, esse filme é o verdadeiro responsável por estabelecer novos rumos decisivos para a franquia. Confirmado como se passando nos anos 80, há também rumores de que alguns membros do elenco mais velho podem aparecer. O Wolverine pelo menos é um deles.
O cameo de Nate Grey e a participação de Blink em DOFP acionam alertas nas cabeças dos fãs, já que ambos os personagens são frutos da Era do Apocalipse nos quadrinhos. Além do mais, a possibilidade de termos a Feiticeira Escarlate no próximo filme também torna tudo muito mais instigante.
Mercúrio pelo menos já foi confirmado.
Não quis muito especular sobre o que faria nesse filme, já que ele é um dos confirmados. Mas se trabalhar com duas linhas temporais, seria interessante incluírem esses personagens e estabelecerem os rumos que o resto da franquia tomará.  
Trazer alguns personagens já conhecidos da Franquia como Cavaleiros do Apocalipse, mostrar o inicio do Instituto Xavier, com os jovens Ciclope, Jean e Tempestade e faria referência à relação da Mística com Azazel, e seu filho Noturno, assim como iniciaria (apenas uma referência ainda) a relação entre Magneto, Mercúrio e Wanda.
Estive pensando que seria lógico a Tempestade surgir em primeira instância como um dos Cavaleiros do Apocalipse, já que ela é africana. Outro forte candidato a cavaleiro seria o Alex Summers. Dos personagens já presentes na franquia, os cavaleiros que cabem na lógica vista até agora podem ser os quatro mutantes libertados por Mística no Vietnam ou mesmo os quatro cavaleiros da animação X-Men: Evolution, que são Mística, Tempestade, Magneto e Xavier (ser um cavaleiro do apocalipse seria uma ótima explicação pro Xavier do James McAvoy ficar careca).
O final do filme seria uma ótima oportunidade pra revelar Scott e Alex como irmãos.
Os boatos de que a Feiticeira Escarlate pode estar no filme, podem colocá-la como uma peça chave para a derrota de Apocalypse, devido ao grande poder que ela possui.

Essa também fui eu, rs

Phoenix Rises (2016)
Para esse título, me baseei na incrível música composta pelo John Powell para X-Men 3, e essa é uma das melhores coisas do filme... A música “Phoenix Rises” é um tema e tanto para ser reutilizado.
Passando-se após os eventos de “Wolverine: Wedding Day”, este filme seria o “X-Men 3” do Bryan Singer e o meu X-Men: Reborn (rs), aproveitando as ideias que ele havia tido para X3 e incluindo novos elementos. O filme focaria na saga da Fênix Negra, mas possuiria a subtrama em que Cable (ou Nate Grey) vem do futuro para resolver os problemas de Genosha e os Sentinelas – que seria bem secundária e apenas introduzida aqui, mas estaria diretamente ligada à história já que a Jean é a única que pode definir a derrota dos Sentinelas, que seriam mostrados apenas numa cena pós-créditos envolvendo Graydon Creed, diretor da organização antimutante “Amigos da Humanidade” e o Dr. Adler. 
Neste, haveria o retorno de Emma Frost, amarga pelo abandono de Magneto nos anos 60 e pedindo ajuda ao professor. Ela seria de suma importância para ajudar o professor a conter a Fênix, mas seria uma presença ameaçadora e ambígua o tempo todo. Os únicos X-Men que apareceriam nessa história, que seria uma espécie de solo, seriam o Professor, Ciclope (com certo destaque), Wolverine, Moira McTaggert  e breves participações de Magneto e Mística com referências ao Clube do Inferno e a verdadeira natureza do relacionamento entre Azazel e a transmorfa.

Essa também... Ok... Você sabia que Sigourney Weaver
era a opção de Singer para fazer Emma Frost em seu
X-Men 3?



X-Men: Bloodlines (2017)

Bloodlines seria a continuação direta de Apocalipse, se passando no final dos anos 80, seria mais “quieto” e dramático, mostrando um mundo indeciso entre amar e odiar os humanos, tentando reconstruir o que Apocalipse destruíra.

O plot se iniciaria com um jovem militar chamado Graydon Creed, discípulo de Stryker e Bolivar Trask. Ele tem raiva dos mutantes por ser filho de dois deles. Eu não tornaria Mística sua mãe, como é nos quadrinhos, mas sim, ele seria filho de Dentes-de-Sabre, que apareceria aqui rapidamente para acertar contas com Wolverine (que desaparece no meio da trama, sequestrado por Stryker) e acabaria despertando a fúria do filho.
Acompanhando também a relação conturbada entre Magneto e seus dois filhos, que magoados com a morte da mãe, culpa do próprio Erik, estabelecem uma perigosa ligação com o pai. O mesmo acontece com a Mística, agora definitivamente uma vilã, e Noturno. 
Nesse interim, Creed consegue apoio do jovem Senador Kelly para prosseguir com seu projeto os Amigos da Humanidade e tentar ressuscitar o projeto Sentinela juntamente com Bolivar Trask. Magneto mata Bolivar Trask e tenta matar Kelly, mas é impedido pelos X-Men e os filhos, sendo derrotado de forma tão amarga que o levará a se isolar no final das contas.
Bloodlines se concentra nos filhos: Graydon Creed, Mercúrio, Wanda e Noturno... E o que as atitudes dos pais afetaram a vida deles e a raça mutante em geral. Seria um filme sobre quebra de relacionamentos, por isso o nome. O roteiro teria que ser esperto para equilibrar os quatro, mas conseguiram fazer isso com DOFP.

Não fui eu também rs


eXtinction (2017)
Se passando em 2023, onde deixamos o futuro de Days of Future Past, vemos o futuro catastrófico deste começar a se tornar realidade novamente.Nesse contexto, mutantes começam a ser mortos nos esgotos, como um extermínio. Um grupo específico está sendo mais atacado, os que se auto denominam Morlocks. Um deles conhece os X-Men e pede ajuda à Tempestade, que tenta convencer a líder deles, Calisto, a unirem forças com os X-Men. Nesse meio tempo, cresce um clima de rivalidade entre elas. Esse arco seria vagamente baseado em "Massacre dos Mutantes", porém aqui, os Carrascos não seriam mutantes comandados pelo Senhor Sinistro e sim uma espécie de grupo de mutantes contratados pelos Amigos da Humanidade, que têm acesso ao mesmo tipo de soro controlador utilizado por William Stryker em X2.
Exatamente por isso, mesmo após evitar a morte de Jean Grey, Cable (ou Nate Grey) permanece no presente, pois diz não ter concluído ainda sua missão. Apesar de não tratar das origens do Nate/Cable, ao ser perguntado pelos pais como ele nasceu, já que eles morreriam no futuro, ele dá a entender que é uma experiência genética.Ele leva para os X-Men o projeto dos Sentinelas ressuscitado por Graydon Creed e os amigos da humanidade e pede ajuda para derrotá-los, por essa força maior, Magneto e a Irmandade se juntam. 
Na batalha final, X-Men e Irmandade versus um Exército de Sentinelas, Xavier é morto juntamente com Magneto, que tenta salvá-lo. Jean, Wanda, Vampira, Tempestade e Ciclope terminam de dar conta dos Sentinelas. Mas o final em aberto dá a entender que o pior está por vir, e vemos Cable/Nate elaborando um plano para viajar ao passado.
eXtinction seria um filme de equipe... Tipo "Os Vingadores" mesmo, mas os protagonistas seriam principalmente Nate (ou Cable) e 
Tempestade, como uma liderança forte. Os dois arcos - o Massacre e Genosha - não dividiriam tempo em tela, mas sim um levaria ao outro automaticamente.




X-Men Genesis (2018)
Ambientado na segunda metade dos anos 90, em Genesis, vemos Magneto isolado de todos, pensando na própria vida, seus ideais abandonados e sua luta largada.
Nesse mesmo tempo, vemos uma nova versão da jovem Vampira descobrindo seus poderes e sendo acolhida por Mística ao invés dos X-Men. Ela conhece Gambit na equipe de Mística.
Enquanto isso, o governo americano começa de novo a planejar algo para lidar com os mutantes e novamente Graydon Creed entra em cena.
A escola Xavier para super dotados está a todo vapor e tudo parece bem.
Mas esses quatro arcos se chocam quando Creed descobre onde Magneto está e vai atrás dele, provocando uma ira no mutante como nunca vista. 
Decidido a destruir o Homo Sapiens de uma vez por todas, Magneto procura Mística e o que restou da irmandade para provocarem um ataque. Vampira foge por não querer se envolver nisso e no final das contas encontra-se com um Wolverine sem memória e com garras de Adamantium, recriando a forma como ambos foram parar nos X-Men no primeiro filme. 
Impedido pelos X-Men, Magneto não chega a fazer o ataque, mas desencadeia o início do futuro sombrio de uma vez por todas.
Na cena pós créditos, Xavier está em seu escritório e recebe uma visitinha do futuro, Cable, que vem lhe dizer que precisa dos seus estudantes para uma missão de vida ou morte no futuro.
Genesis seria do Magneto... A ascensão definitiva dele como Nêmesis ideológico de Xavier. Seria um filme de Equipe x Magneto mesmo.



X-Men: A Batalha do Átomo (2018)
O último filme da franquia seria uma arriscadíssima nova manobra de viagem no tempo, com pelo menos 3 horas de duração, que eu mesmo teria receio de fazer/assistir, mas não resistiria às possibilidades de conflitos psicológicos que ela poderia acarretar.
Quem conhece os quadrinhos mais recentes dos mutantes, sabe do que se trata, mas obviamente seria apenas vagamente adaptada.
O cenário é o seguinte: Após a morte do Professor X, que deixou em seu testamento o Instituto aos cuidados de Scott e Jean, Ciclope tornou-se amargo e rancoroso, passando a adotar alguns ideais extremistas parecidos com os de Magneto.
Com isso, Wolverine – que agora lembra de um passado muito mais sombrio do que o que Ciclope e os outros lembram – e alguns outros alunos que ainda prezam pelos ideais do Professor Xavier se separam e estão reunidos num prédio até então abandonado (numa equipe bem parecida com uma mistura de "Wolverine e os X-Men" e X-Force). Com os X-Men divididos, a Irmandade está fazendo o que bem entende, já que Ciclope não é mais contra. Jean se mostra dividida e não tem coragem de tomar atitudes mais drásticas. Sabendo disso tudo através de um informante, os Amigos da Humanidade resolvem reativar Genosha e o projeto Sentinelas. 
Sabendo onde aquilo vai dar, Wolverine e Cable consideram necessário voltar ao passado para mudar tudo. A ideia de Wolverine é fazer o mesmo que fizeram em Dias de um Futuro Esquecido, mas então Cable lembrou-lhe da teoria sobre o tempo não mudar e, defendendo que eles precisam de reforços para lutar no presente e não mudar o passado, ele apresenta um plano ainda mais ousado.
Ele tem tecnologia suficiente para trazer os X-Men mais jovens para o futuro, para colocar Ciclope e os outros literalmente em confronto consigo mesmos. 
Com isso, temos uma batalha épica de X-Men contra X-Men e Irmandade, e ainda ambos os grupos contra os novos sentinelas, mais fortes do que nunca.
A Batalha do Átomo é definitivamente do Ciclope... Assim como foi com Xavier em DOFP, o embate das duas versões dele, mais nova e mais velha, seria o ápice e o principal fio condutor da narrativa.
O resultado seria um final relativamente feliz – com algumas mortes e baixas – e os X-Men do passado retornando para seu próprio tempo. Cria-se um paradoxo temporal, mas não sabemos o que acontece no futuro, que, ao contrário de Dias de um Futuro Esquecido, aqui se abre para infinitas possibilidades e aposenta com estilo a franquia do universo criado por Bryan Singer.

Depois desse projeto que gastaria milhões e milhões mais do que já gastaram, os X-Men voltariam apenas como reboot, com novo elenco, novas histórias e um novo universo inteiro para ser explorado.

Arcos dos Quadrinhos Interessantes para o Cinema:
Abaixo uma lista de arcos dos quadrinhos que seriam interessantes para o cinema. Alguns já foram vagamente adaptados, outros serão adaptados, outros já citei acima.

X-Men #1 (Primeira Edição)
Giant Size #1 (1975) - A Origem dos Novos X-Men
Ultimate X-Men: O Povo do Amanhã
Magneto - Testamento
Programa de Extermínio
Massacre dos Mutantes
A Saga da Fênix

A Era do Apocalipse
Uma Terra Verde e Agradável (Genosha, Uncanny X-Men 235-238)

Obs.: Enquanto escrevia, fiquei pensando nas subtramas que sublinhei, se vocês entenderiam a dinâmica entre o foco do filme e as subtramas. Como eu disse no início do post esses são rascunhos das ideias que seriam aproveitadas. Coloquei nessas "sinopses" tudo o que seria interessante abordar com maior ou menor foco dentro do filme para que pudesse preparar o restante da franquia...
Algumas subtramas seriam apenas insinuadas num filme para serem melhor trabalhadas nos outros... 

Comente e diga-me: Qual seria a SUA franquia?

3 comentários:

  1. muito legal seu blog

    vc sabe aonde posso comprar esse quadrinhos citados por último?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Stella!

      Desses últimos que citei, alguns são bem fáceis de achar: A Saga Completa da Era do Apocalipse lançada pela Panini Comics tem 6 volumes e vc encontra em várias lojas, inclusive na própria loja virtual da Panini.

      Recentemente eles lançaram uma edição histórica com o primeiro número dos X-Men, que vc acha pra comprar na internet também.
      Você também encontra com facilidade o número do Programa de Extermínio. Acho que Massacre dos Mutantes vc encontra no site da Panini e no Comix Book Shop.

      Os outros são mais difíceis de achar... Você encontra em sites como Mercado Livro, pq são números fora de circulação!

      E obrigado pelo elogio, volte sempre!

      Excluir
  2. Bom texto, mas e uma pena que Bryan Singer nao vai tar envolvido mais nos filmes dos x-men, por causa do "abuso"

    ResponderExcluir